"Terei uma casa no alto do monte com flores lindas por todo jardim" (Foto:Gabriel Cayres)

Há algum tempo atrás tracei muitos planos para meu futuro. Minha vontade era morar na loucura de uma grande cidade, estar no corre corre da multidão enlouquecida que tem uma casa só para dormir porque passa o resto do dia trabalhando ou parado no trânsito. Sonhava com um apartamento médio sem vista preferencial, que fosse aconchegante e tivesse um ar bem urbano. Também queria um celular hiper, ultra e mega blaster funcional que fizesse desde simples ligações a um capuccino nas horas vagas. Provavelmente estaria “enchendo a cara” de comida de caixinha e toda aquela porcaria artificial que vem incluida no pacote. Mas o futuro transformou-se em presente e minhas metas foram pras cucuias. Mas isso me fez refletir acerca das minhas preferências e prioridades. Mantenho aceso dentro de mim a vontade de ser uma jornalista formada, de terminar minha faculdade de História e ser bem sucedida profissionalmente. Entretanto de que isso adianta se eu não tiver sucesso em minha vida espiritual, física e emocional? Não penso mais em encher meus pulmões com a fumaça fétida das grandes cidades e conhecer meus vizinhos pelo número do apartamento que ele mora. Nem tampouco passar metade da minha vida dividida entre um escritório e um carro (ônibus,metrô…), pra chegar em casa e deitar a cabeça no travesseiro por poucas horas. Muito menos viver enclausurada pela incerteza do que poderá acontecer: um assalto, um acidente no trânsito ou outras coisas piores. Anseio por uma casa bem arejada, pintada de um amarelo vivo e cercada por uma grande varanda rodeada de árvores e flores. De preferência com uma enorme biblioteca onde algumas poltronas bem confortáveis estejam dispostas, de forma que eu passe horas e horas lá dentro sem perceber. Um espaço onde eu possa ter no mínimo dois cachorrinhos pra fazer companhia nas horas solitárias. Um quintal grande pra andar com os pés na terra molhada depois de uma chuva gelada de verão. Com uma cozinha que tenha uma mesa bem grande com uma fruteira no centro pra colocar as frutas que colhi do meu próprio pomar. Poder sentir o silêncio quando necessário, mas também desfrutar da mais pura melodia de pássaros.Um celular ainda será necessário pra manter contato com minha familia e amigos, quando eu não puder colocar o papo em dia pessoalmente comendo um pedaço de bolo de laranja quentinho e bebendo uma xícara de chá de maracujá. E quando a noite chegar dormir um sono despreocupado das agitações urbanas, embalado pela brisa fresca e pura que só um lugar assim poderá me proporcionar.

Nota: Mas mesmo que por algum contratempo da vida eu não chegue a ter minha casinha amarela, eu sei que Jesus tem uma casa muito mais linda preparada para mim lá no Céu.