Tags

, , , , ,

Perdão Total

“Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito” (Rm 8:1, ARC).

O perdão de Deus é tão grande, tão profundo e tão amplo que é impossível entendê-lo completamente. Nem mesmo a melhor qualidade de perdão humano pode ser comparada com o de Deus. Ele é tão perfeito, e nós somos tão falhos! Mas, pela provisão que o próprio Deus fez em Jesus, todos podemos ter pleno e completo perdão no momento em que reclamarmos as promessas mediante plena entrega ao Senhor.

Leia os três textos abaixo. Como eles nos ajudam a entender o perdão de Deus?

a) ‘Quanto dista o Oriente do Ocidente, assim afasta e nós as nossas transgressões’. (Sl 103:12)

b) ‘Vinde, pois, e arrazoemos, diz o SENHOR; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã’. (Isa. 1:18)

c) ‘Tornará a ter compaixão de nós; pisará aos pés as nossas iniqüidades e lançará todos os nossos pecados nas profundezas do mar’. (Miq. 7:19)

A Bíblia usa alegorias do reino concreto e familiar a fim de nos ajudar a entender o significado de conceitos difíceis. Até onde podemos perceber, a neve e a lã são bons exemplos de brancura; as profundezas do mar estão entre os lugares mais profundos que podemos imaginar; e nada pode estar geograficamente mais distante e separado que o leste do oeste. Mas essas são alegorias limitadas do perdão de Deus. Na Abadia de Elstow, um vitral colorido retrata uma imagem inspirada em O Progresso do Peregrino, de John Bunyan. Cristão, o personagem central, pode ser visto ajoelhado ao pé da cruz. Seu fardo pesado de culpa desaparece de seus ombros, trazendo alívio incomparável a seu coração.

Cristão diz: “Não o vi mais.” O fardo se foi. Dor, remorso, ansiedade e vergonha desapareceram para sempre. Por causa de nossa imperfeição, egoísmo e relacionamentos defeituosos, é muito difícil entendermos o perdão perfeito e total de Deus. Simplesmente podemos aceitá-lo pela fé e orar: “Senhor, humildemente confesso a Ti meus pecados e aceito Teu perdão e purificação. Amém”!

 

Quando o pecado luta pelo domínio do coração humano, quando a culpa parece nos oprimir e sobrecarregar a consciência, quando a incredulidade anuvia a mente, quem faz entrarem os raios de luz? De quem é a graça suficiente para subjugar o pecado, e quem dá o precioso perdão a todos os nossos pecados, expulsando as trevas e nos tornando esperançosos e alegres em Deus? – Jesus, o Salvador que perdoa os pecados. Ele ainda é nosso advogado nas cortes do Céu; e aqueles que tiveram a vida escondida com Cristo em Deus devem se erguer e brilhar, porque a glória do Senhor nasceu sobre eles” (Ellen G. White, Bible Training School, maio de 1915).

“Se você ofendeu um amigo ou vizinho, deve reconhecer sua culpa e é dever dele perdoar plenamente. Então, você deve buscar o perdão de Deus, porque o irmão a quem feriu é propriedade de Deus e, ofendendo-o, você pecou contra seu Criador” (Ellen G. White, A Fé Pela Qual eu Vivo [MM 1959], p. 128).

CPB

FELIZ SÁBADO A TODOS!