Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Resolvi comemorar o Dia do Amigo de um jeito diferente aqui no Caça Palavras. Como eu adoooro ler e muitos amigos meus também, decidi relacionar as amizades que acho mais bonitas entre os livros que já li. Vamos lá…

AMIR E HASSAN – O  CAÇADOR DE PIPAS (Khaled Hosseini)

Não sou de chorar em livros e filmes, mas com essa história eu derramei litros e litros de lágrimas. Uma amizade entre dois meninos quase da mesma idade, no Afeganistão da década de 70. Apesar de viverem na mesma casa, Amir é o filho do patrão e Hassan do empregado, e juntos tem os mesmos sonhos e gostos. Uma das palavras que define a amizade incondicional de Hassan por Amir é : ‘ Por você, faria isso mil vezes ‘.

LIESEL E RUDY – A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS (Markus Zusak)

Tragédia. Essa é a palavra que pode definir grande parte da história da pequena Liesel Memimger. Em meio ao caos total da Segunda Guerra Mundial, a menina e Rudy Steiner que é  seu vizinho desenvolvem uma linda amizade. Eles dividem aventuras, segredos e um grande amor. Sensacional!

Olhou para o rosto sem vida, e então beijou a boca do seu melhor amigo, Rudy Steiner, com suavidade e verdade. Ele tinha um gosto poeirento e adocicado. Um gosto de arrependimento á sombra do arvoredo e na penumbra de coleçao de ternos do anarquista. Liesel o beijou demoradamente, suavimente, e, quando se afastou, toucou-lhe a boca com os dedos’.

DAVID E JESSE – O CLUBE DO FILME (David Gilmour)

Um filho adolescente que odiava a escola e um pai que tomou uma atitude inesperada; deixar o menino abandonar os estudos caso se comprometesse a ver junto com ele três filmes por semana. David e Jesse fortalecem ainda mais seus laços com uma amizade baseada no diálogo e confiança.

‘ Outro dia, eu estava parado no sinal vermelho quando vi meu filho saindo do cinema. Ele estava com sua nova namorada. Ela segurava a maga do casaco dele com a ponta dos dedos e sussurrava algo em seu ouvido. Não cheguei a descobrir que filme eles tinham acabado de ver – os letreiros estavam cobertos por uma árvore em plena floração – ,mas naquele momento me peguei recordando, com uma nostalgia quase dolorosa, os três anos que ele e eu passamos, só nós dois, assistindo a filmes e conversando na varanda de casa, um período mágico que um pai não costuma experimentar quando tem um filho adolescente. Agora, já não o vejo tanto quanto antes (e é assim que deve ser), mas aquele foi um período maravilhoso. Uma pausa feliz, para nós dois’.

MIA E LILLY – O DIÁRIO DA PRINCESA (Meg Cabot)

Li 5 livros da série e espero terminar porque simplesmente amo a história, e por isso Mia e Lilly não poderiam ficar de fora desse post. Apesar das duas viverem se descabelando, uma de bico virado pra outra elas sempre voltam as boas.

MARLEY E JOHN – MARLEY E EU (John Grogan)

Dizem que o melhor amigo do homem é o cachorro, e John comprova isso em ‘Marley & Eu’. Uma história verdadeira e emocionante que vale a pena ser lida por todos.

‘Lealdade. Coragem. Devoção. Simplicidade. Alegria. E também as coisas que não tinham importância. Um cão não precisa de carros modernos, palacetes ou roupas de grife. Símbolos de status não significam nada para ele. Um pedaço de madeira encontrado na praia serve. Um cão não julga os outros pela cor, credo ou classe, mas por quem são por dentro. Um cão não se importa se você é rico ou pobre, educado ou analfabeto, inteligente ou burro. Se você lhe der seu coração, ele lhe dará o dele. É realmente muito simples, mas, mesmo assim, nós humanos, tão sábios e sofisticados, sempre tivemos problemas para descobrir o que realmente importa ou não’.

HENRY E CLARE – A MULHER DO VIAJANTE NO TEMPO (Audrey Niffenegger)

Uma amizade que se transforma em amor e ultrapassa os limites do tempo. Henry e Clare tem uma relação onde nem sempre o tempo é o melhor remédio.

‘É noite. Levanto os olhos; parece que vovó está dormindo. Paro de ler e fecho o livro. Ela abre os olhos. – Oi – digo. – Você sente falta dele alguma vez? – ela me pergunta. – Todos os dias. A cada minuto. – A cada minuto – ela diz. – Sim. O amor é assim, não é? – Ela vira de lado e afunda no travesseiro. – Boa noite – digo, apagando a luz. Quando estou parada no escuro olhando para vovó deitada na cama, a depressão toma conta de mim como se eu tivesse levado uma injeção de tristeza. O amor é assim, não é? Não é’.

SHMUEL E BRUNO – O MENINO DO PIJAMA LISTRADO (John Boyne)

Uma amizade verdadeira e inocente. Duas crianças tentando entender as mudanças que a Segunda Guerra Mundial ocasionou em suas vidas. De um lado Shmuel, menino judeu que está preso no campo de concentração e do outro Bruno, filho de um oficial nazista que mora em frente ao campo.

ANNE E KITTY – O DIÁRIO DE ANNE FRANK (Anne Frank)

Um dos meus livros prediletos. A vida de Anne foi totalmente transformada quando teve de mudar-se com a família para um esconderijo. Judeus, os Frank não tiveram outra saída quando a febre nazista chegou até a Holanda. Anne encontrou uma amizade em seu diário, que chamava de Kitty, e onde relatava tudo o que acontecia naquele momento. Uma história real e fascinante.

‘O papel tem mais paciência que as pessoas’. Pensei nesse ditado num daqueles dias em que me sentia meio deprimida e estava em casa, sentada com o queixo apoiado nas mãos, chateada e inquieta, pensando se ficaria ou sairia. Finalmente fiquei onde estava matutando. É, o papel tem mais paciência, e como não estou planejando deixar que ninguém mais leia esse caderno de capa dura que geralmente chamamos de diário, a não ser que algum dia encontre um verdadeiro amigo, isso provavelmente não vai fazer a menor diferença.’

HOLMES E WATSON – SHERLOCK HOLMES (Arthur Conan Doyle)

Elementar. Eles são inseparáveis e parece que se um está longe do outro alguma coisa está faltando. Uma amizade que ultrapassa gerações.

SUZANNAH E JESSE – A MEDIADORA (Meg Cabot)

Essa amizade não começa muito bem e não é nada convencional. Suze é uma adolescente que muda-se para Carmel onde irá viver com a mãe, o padrasto e seus três novos irmãos. Não bastassem seus problemas ela ainda é uma mediadora (ajuda os fantasmas a atingirem seus objetivos), e tem que dividir seu quarto com Jesse, um fantasma bonitão que morreu há 150 anos. Uma amizade que acaba transformando-se em paixão.

Espero que tenham gostado do post. Feliz Dia do Amigo!